Sucesso de audiência, “Haja Coração” chega ao seu último capítulo e surpreende o público.

0

tancinha-apolo-fim

(Foto: Felipe Monteiro/ GShow)

Desde que estreou em 31 de maio deste ano, “Haja Coração” tinha como grande responsabilidade manter os bons índices conquistados por sua antecessora, “Totalmente Demais”, que na época foi um verdadeiro fenômeno de audiência e repercussão, e assim alavancou o horário das sete, da Rede Globo de televisão.

Escrita por Daniel Ortiz, “Haja Coração” foi apresentada não como um remake, mas sim como uma espécie de releitura da novela “Sassaricando”, sucesso na década de 80 e que graças ao ótimo desempenho de toda a equipe, repetiu- se agora com “Haja Coração”.

De fato, a quem diga que a trama de Daniel Ortiz parecia ora exagerada, por causa de alguns excessos, como o humor pastelão e a falta de carisma de alguns personagens (o protagonista Apolo, vivido por Malvino Salvador, foi um dos mais criticados pela mídia e pelo público, neste aspecto). Em compensação, boa parte do elenco esteve sempre afiadíssimo em cena, a começar pelo núcleo da família Abdala, a brilhante atuação de Grace Gianoukas no papel de Teodora, Tatá Werneck dando vida a uma nova Fedora e todos que compunham o bom andamento deste núcleo e de toda a trama. E o que dizer da atuação magistral de Cristina Pereira, imortalizada no papel da primeira Fedora Abdala e que agora atuou tão brilhantemente nesta nova releitura de “Sassaricando”, como a engraçadíssima Safira?

Os protagonistas, em parte, estiveram bons em seus respectivos papeis, com Mariana Ximenes e a sua Tancinha claramente diferente daquela interpretada por Claúdia Raia no folhetim de 1987 e que conquistou o público pelo alívio cômico que representava a personagem, que agora com Ximenes, mostrou- se ser uma mocinha mais romântica e entregue ao público como uma grande heroína. João Baldasserini e o seu tão querido Beto, talvez tenha sido a grande surpresa do núcleo de protagonistas, compensando a grande rejeição pelo personagem de Malvino Salvador e que para a surpresa de grande parte dos fãs da novela, foi o escolhido por Tancinha para viver ao seu lado, ao contrário do que aconteceu em “Sassaricando”, quando a personagem de Claudia Raia escolheu viver ao lado de Beto, antes interpretado por Marcos Frota.

Mas, falar de “Haja Coração” e deixar de citar as vilanias de Bruna (Fernanda Vasconcellos) e Jéssica (Karen Junqueira), é o mesmo que deixar de reconhecer o crescimento dessas duas atrizes, que estiveram espetaculares em seus papeis e cresceram com suas personagens ao longo da trama, principalmente nessa reta final. Vale aqui lembrar do ótimo quarteto vivido por Rebeca (Malu Mader), Penélope (Carolina Ferraz), Leonora (Ellen Rocche) e a empregada Dinalda (Renata Augusto), que funcionou quimicamente muito bem e que deixou isso transparecer na tela.

Além disso, o casal formado por Shirlei (Sabrina Petraglia) e Felipe (Marcos Pitombo) foi um verdadeiro presente ao público e digno de todas as torcidas possíveis pelos fãs da novela, que sempre movimentavam a internet e desejavam que a personagem de Karen Junqueira, a ardilosa Jéssica, se desse muito mal, como acabou acontecendo no penúltimo capítulo.

Apesar de tudo, “Haja Coração” apresentou- se como mais uma grata surpresa no horário das sete da TV Globo, e se depender da alta audiência conquistada, mantida e entregue para a sua substituta, “Rock Story”, a Globo tem muito o que comemorar, pois ao que tudo indica, “Rock Story” por enquanto, parece ter fôlego para manter os índices do horário e também conquistar o público, como foi o caso de “Totalmente Demais” e agora, “Haja Coração”.

Você também pode gostar